..::data e hora::.. 00:00:00

Saúde

Vacinação contra Covid-19 em grávidas e mulheres no pós-parto segue suspensa no Acre

PNI no Acre informou que imunização desse grupo vai continuar suspensa até que chegue informe técnico do Ministério da Saúde com orientações. Suspensão vale para grávidas e puérperas com ou sem comorbidades

A vacinação contra Covid-19 em grávidas e mulheres no período pós-parto, com ou sem comorbidades, continua suspensa no estado do Acre. A Secretaria de Saúde cessou o serviço nessa terça-feira (11), após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendar a interrupção do uso da AstraZeneca/Fiocruz nesse público.

A Secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco chegou a informar que retomaria a vacinação desse grupo nesta quinta-feira (13), após a chegada de um novo lote de vacinas da Pfizer, mas nesta quarta (12), a Saúde Estadual de Saúde afirmou que a imunização de grávidas e puérperas só vai se retomada no estado após novo informe técnico do Ministério da Saúde com as devidas orientações.

A informação foi confirmada pela coordenadora do Programa Nacional de Imunização do Acre (PNI), Renata Quiles. “Chegaram doses da Pfizer, o município [Rio Branco] vai receber hoje [quarta, 12] para começar a vacinação amanhã [quinta, 13]. Mas, o Ministério da Saúde pediu para que os estados aguardem, não realizem a vacinação de gestantes e puérperas até que saia o informe técnico deles, independente do laboratório”, disse Renata.

Nessa terça, o Ministério da Saúde anunciou que a vacinação de grávidas e de puérperas no Brasil contra a Covid-19 será restrita somente às mulheres com comorbidades (doenças pré-existentes) e elas devem receber apenas as vacinas CoronaVac e Pfizer. Porém, sobre a vacinação nas grávidas com comorbidade a Saúde Estadual não soube informar quando e se vai ser retomada e a Saúde Municipal diz que vai aguardar orientação do PNI.

Na capital

Em Rio Branco, a vacinação em grávidas e puérpera estava sendo feita tanto nas que têm comorbidades como nas que não têm. A imunização do grupo começou na semana passada e foi suspensa nessa terça. Ao todo, 88 grávidas e 18 puérperas foram imunizadas na capital acreana contra a Covid-19, desde semana passada.

A previsão inicial do secretário municipal de Saúde, Frank Lima era de que a vacinação fosse retomada nesta quinta-feira (13), com a chegada do novo lote da Pfizer. A 20ª remessa de imunizantes trouxe para o Acre 3.510 doses, que devem ficar na capital acreana devido ao processo de armazenamento.

“Por todo o dia de hoje [quarta, 12], a Secretaria Municipal de Saúde vai estar conversando com o PNI do estado para poder acertar a logística e a possível retomada da vacinação de grávidas e puérperas. Vamos estudar bem direitinho essa recomendação do Ministério da Saúde e, assim que tiver uma decisão, vamos anunciar quando será a volta”, afirmou Lima.

Recomendação da Anvisa

Na noite de segunda-feira (10), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu uma nota recomendando a suspensão imediata da aplicação da vacina AstraZeneca em grávidas. A orientação da Anvisa é que a indicação da bula da vacina AstraZeneca seja seguida pelo Programa Nacional de Imunização.

A prescrição atual do fabricante não recomenda o uso desta vacina em grávidas sem orientação médica. Segundo a Anvisa, a medida é resultado do monitoramento de eventos adversos feito de forma constante sobre as vacinas anticovid, em uso no país. Agora, segundo a Anvisa, só devem ser aplicadas nas grávidas no Brasil as vacinas CoronaVac e a Pfizer.

Em 26 de abril, o ministério decidiu incluir todas as grávidas e puérperas (mulheres no período pós-parto) no grupo prioritário para receber a vacina contra a Covid-19. Em 15 de março, o governo já tinha incluído as gestantes com comorbidades.

Recomendação do Ministério da Saúde

A determinação do Ministério da Saúde de que a vacinação em grávidas e puérperas deve ser exclusiva para as que têm comorbidades e apenas com as vacinas CoronaVac e Pfizer vale até que sejam concluídas as análises de um caso raro. O caso em questão é a morte de uma gestante de 35 anos por causa de um acidente vascular cerebral hemorrágico (AVC) que pode ter ligação com o uso da vacina AstraZeneca.

O óbito ainda está em investigação e, segundo o governo federal, ainda não está comprovado que a vacinação tenha causado a complicação na gestante.

Vacinação no Acre

De acordo com informações do portal de transparência do governo, o Acre recebeu 234.910 doses de vacinas e foram aplicadas 144.823 até esta quarta (12), sendo 102.696 da primeira dose e 42.127 da segunda. Rio Branco aplicou 64.892 doses e Cruzeiro do Sul 14.889.

Segundo o governo, o número de doses aplicadas que consta no portal refere-se aos dados já inseridos no sistema do Ministério da Saúde, cujas atualizações são realizadas pelos municípios. Por isso, pode haver atraso nas informações.

Image
Image

logo news2