..::data e hora::.. 00:00:00

Saúde

Em epidemia de Influenza e aumento de casos de Covid, Rio Branco decreta situação de emergência

Saúde da capital informou que voltou a registrar aumento de casos de infecção pelo novo coronavírus nas últimas semanas. Decreto foi assinado pelo prefeito Tião Bocalom nesta segunda-feira (10)

O prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, assinou nesta segunda-feira (10) o decreto de situação de emergência por conta do aumento dos casos síndrome gripal e Covid-19 na capital.

No final do ano passado, a prefeitura confirmou que Rio Branco já enfrenta situação de epidemia do vírus Influenza A. Na época, foi informado que 72 amostras de casos positivos de Influenza A foram encaminhadas para o Instituto Evandro Chagas, em Belém, para identificar qual tipagem do vírus.

Apesar de informar que houve um aumento nos casos de Influenza e de Covid de 25% nas últimas semanas, a secretária de Saúde, Sheila Andrade, não divulgou números atualizados das notificações das doenças. O departamento de Vigilância Epidemiológica e Ambiental do município afirmou ao g1 que está levantando os dados.

O surto de gripe fez a Saúde de Rio Branco abrir a Unidade de Referência de Atenção Primária (Urap) Maria Barroso, na Baixada da Sobral, das 7h às 22h, com atendimento para pessoas com síndrome gripal. As equipes estão entregando medicamentos para os pacientes e fazendo teste rápido para Covid-19.

“Estamos muito preocupados e decidimos em conjunto fazer um decreto emergencial com relação a síndromes gripais dentro do município de Rio Branco, especificamente a Influenza e a Covid-19. Nesse momento, detectamos um aumento muito considerável de Covid, estamos fazendo testagem em todas as pessoas que passam ali [na Urap Maria Barroso] com síndrome gripal e o aumento foi considerado de 25%. Diante disso, não é algo para se alarmar, mas sim algo para se cuidar e ter muita atenção neste momento”, disse a secretária.

O decreto de situação de emergência tem validade de 90 dias.

Sem estoque de vacina

Em meio a um surto de síndrome gripal e consequente aumento nos atendimentos em unidades hospitalares, o Programa Nacional de Imunização (PNI) no Acre informou que o estoque de vacina contra a Influenza acabou no estado. A informação foi confirmada ao g1 no dia 30 de dezembro pela coordenadora Renata Quiles.

Sem estoque de vacina, o PNI estadual e a Secretaria Municipal de Rio Branco informaram que fizeram o pedido ao Ministério da Saúde para a antecipação da Campanha contra a Influenza de 2022.

Normalmente, a campanha é realizada a partir do mês de abril, como foi no ano passado, mas o pedido do estado acreano é que inicie, ao menos, em março.

Além disso, o estado solicitou ainda o envio de mais 50 mil doses da vacina contra a gripe para garantir imunização da população. No entanto, segundo a gerente do núcleo do PNI no estado, Renata Quiles, foi informado que o estoque nacional também está esgotado.

Ainda segundo a gerente, o Ministério informou que estuda a possibilidade de antecipar a campanha para o mês de março, mas que ela seria para grupos prioritários e não aberta ao público geral. A composição da vacina, conforme Renata, já é contra a nova variante de Influenza, a H3N2.

Mortes por gripe

Um levantamento feito pela Secretaria Estadual de Saúde do Acre (Sesacre) a pedido do g1 mostra que o estado registrou 18 mortes por influenza nos últimos três anos. Os dados apontam os números de 2019 a 2021, sendo que o primeiro foi que teve maior registro, com 12 óbitos ao todo, seguido de 2020 com quatro e 2021 teve apenas 2.

Na série histórica da Sesacre não é especificado qual tipo de influenza foi a causa das mortes. A cidade com maior registro foi Cruzeiro do Sul, com 12 óbitos nesse período.

Também foi em Cruzeiro do Sul o primeiro registro de morte confirmada neste ano. Uma mulher de 28 anos morreu no dia 28 de dezembro no Hospital do Juruá. A informação foi confirmada pela Sesacre e também pela Secretaria Municipal da cidade, no dia 4 de janeiro.

Os municípios de Feijó, Mâncio Lima, Tarauacá e Xapuri também tiveram registros de mortes.

Campanha

A campanha de vacinação contra a Influenza começou no Acre ainda em abril deste ano, inicialmente para o público-alvo, que era de 309.670 pessoas. Em julho, com uma cobertura vacinal abaixo de 20%, o governo do Acre decidiu ampliar a vacinação para toda a população acima de seis meses de idade.

Ao todo, o estado recebeu um total de 315 mil doses da vacina no ano passado e, segundo informou o PNI, durante oito meses, todo o lote foi usado.

Agora, o estado aguarda o envio de novas doses quando o Ministério da Saúde abrir novamente a campanha de imunização contra a Influenza.

Na última quarta-feira (5), a coordenadora do Departamento de Vigilância Epidemiológica, Socorro Martins, confirmou que as doses de vacina que ainda restavam nas unidades também acabaram.

Image
Image

banner mk xl

logo news2