..::data e hora::.. 00:00:00

Polícia


banner 1200x250 03


Acusado de matar amigo de infância e esposa da vítima vai a júri no Acre

Acusado de matar amigo de infância e esposa da vítima vai a júri no Acre

Albedio Fernandes Honorato responde por duplo homicídio qualificado. Réu passou por audiência de instrução e julgamento este mês e juiz Clovis Lodi decidiu pela pronúncia dele

A Vara Única Criminal da Comarca de Assis Brasil pronunciou Albedio Fernandes Honorato por duplo homicídio qualificado. Ele é acusado de matar o casal Geziane Lima de Castro, de 19 anos, e Manoel dos Santos Lopes, de 23, no dia 18 de abril deste ano no Ramal Pedreira, km 2, zona rural de Assis Brasil, interior do Acre.

Honorato segue preso desde abril e teve a prisão preventiva mantida pelo juiz Clóvis de Souza Lodi, na decisão de pronúncia. O g1 não conseguiu contato com a defesa de Honorato.

Ele virou réu em junho deste ano após a Justiça aceitar denúncia do Ministério Público Estadual (MP-AC). Conforme as investigações, o réu era amigo de infância de Manoel Lopes. Ele foi preso em flagrante e, inicialmente, informou à polícia que matou Manoel depois da vítima ter flagrado ele e a Geziane na cama.

No entanto, essa versão de traição foi derrubada após as informações repassadas pelo filho das vítimas, de apenas 4 anos, que presenciou a mãe ser estrangulada até a morte. Além disso, o suspeito tinha marcas de unhas, o que apontava uma luta com a mulher.

O réu responde pelo crime de duplo homicídio qualificado por motivo fútil, com emprego de veneno, fogo, explosivo, asfixia, tortura e por assegurar a execução, a ocultação, a impunidade ou vantagem de outro crime.

A última audiência de instrução e julgamento ocorreu no dia 10 de novembro, quando foram ouvidas testemunhas e o réu foi interrogado.

“Nesse momento processual não assiste razão à tese defensiva de impronúncia, porquanto presente materialidade e indícios mínimos de autoria, devendo todas as teses serem submetidas à apreciação pelo Conselho de Sentença, inclusive a tese da legítima defesa. Diante do exposto, outro caminho não há do que pronunciar o réu”, escreveu o juiz na decisão.

Desentendimento

Na época do crime, o delegado responsável pelas investigações, Erick Maciel, contou que o suspeito relatou que chamou o amigo para sair e que no caminho se desentenderam, entraram em luta corporal e ele deixou Manoel desacordado na rua. Em seguida, foi até a casa da vítima buscar uma faca, voltou ao local e deu um golpe que atingiu o rosto dele.

O primeiro assassinato aconteceu por volta das 3h da madrugada de 18 de abril, a aproximadamente 200 metros de distância da casa da vítima. Ainda de acordo com o delegado, somente o autor do crime estava ingerindo bebida alcoólica.

Após matar o amigo de infância, Albedio Honorato voltou na casa da vítima para levar a faca e foi quando a mulher da vítima perguntou o que tinha acontecido. Ao saber da situação, ela teria tomado a faca da mão do suspeito e ainda o atingiu com um golpe nas costas, mas o homem conseguiu desarmá-la e procedeu com a esganadura.

Após o crime, o suspeito procurou por atendimento médico e foi encontrado na unidade de atendimento da cidade. Os corpos, por sua vez, foram encontrados às 6h da manhã ambos com marcas de esganadura. O de Manoel estava em uma ribanceira próxima da casa onde morava, já Geziane estava em cima da cama.

banner mk xl