..::data e hora::.. 00:00:00

Economia

Presidente do BC diz que inflação no Brasil está muito alta e persistente

Campos Neto ainda comentou sobre novas funcionalidades que o Pix deve ganhar no futuro

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse nesta sexta-feira (19) que a inflação no Brasil está “muito alta” e persistente. Campos Neto ainda comentou sobre futuras funcionalidades para o Pix que, segundo ele, “está só começando”. 

A respeito da inflação, o presidente do BC disse que a taxa brasileira está muito alta em relação a outros países. “Quando a gente olha o mundo emergente, a gente vê uma inflação muito alta no Brasil, só menor do que a Turquia”, disse ele durante palestra no Meeting News, organizado pelo Grupo Parlatório.

Campos Neto ainda disse que o BC tem tentado conter a alta dos preços elevando os juros nos últimos meses. “O Banco Central tem atuado, elevando juros. Controlar inflação é um dos instrumentos mais importantes para o crescimento sustentado, emprego e renda. Momentos de inflação alta foram um dos piores momentos de transferência de renda no Brasil”, declarou.

Segundo o presidente do BC, alguns “elementos locais para uma inflação mais persistente, que tem se disseminado de forma mais ampla recentemente” foram registrados no Brasil, que tem visto a inflação acelerar mais que outros países. “O que a gente precisa é ser atraente para o capital voltar a entrar no Brasil. O maior atrativo é a credibilidade”, analisou.

Pix está só começando

A respeito do Pix, Campos Neto se mostrou esperançoso sobre as novas funcionalidades que surgirão no futuro. Segundo ele, a nova forma de pagamento liberou apenas 30% de todas as ferramentas que pode ter. “Quem acha que o Pix acabou, está só começando”, disse ele.

O presidente do BC citou que, no futuro, será possível fazer transferências internacionais via Pix, além de pagamentos programados mais sofisticados e uma integração com o Open Finance. “O Pix pode ser uma identidade digital”, afirmou. 

Image
Image

banner mk xl

logo news2