..::data e hora::.. 00:00:00

Jamaxi

Sob nova direção 

O Diário Oficial do Estado do Acre traz a nomeação da ex-prefeita de Rio Branco Socorro Neri (SB) como a nova Secretária de Educação do Estado. Neri substituirá o professor Mauro Sérgio que foi exonerado da pasta no final da semana passada. 

Feito 

Quando administrou Rio Branco, Neri teve no setor saúde um exponencial de sua administração.  No último ano da estão, a Prefeitura de Rio Branco foi apontada como a terceira melhor do país em relação ao Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), um indicador criado pelo governo federal para medir a qualidade do ensino nas escolas públicas. 

Parceria 

O último IDEB, realizado em 2019, declara a nota do Brasil sendo 5,7 nos anos iniciais, 4,6 nos anos finais e 3,9 no Ensino Médio da educação pública. Considerado esses parâmetros, Rio Branco obteria a terceira melhor qualificação do Brasil. A época, quando a avaliação foi realizada, pontificava no comando da Educação Municipal o professor Moises Diniz, hoje Secretário de Articulação Política do governo Cameli.


Imagem21

Alvíssaras 

O governador Gladson Cameli (PP), acompanhado do secretário de Planejamento, Cel. Ricardo Brandão, do secretário de Indústria e Comércio, Anderson Abreu e do procurador do Estado, João Paulo Setti, participou de reunião na tarde de ontem (3), na Casa das Indústrias, com o presidente da Fieac, José Adriano, com o diretor da Augusto Nepomuceno - presidente do Sindmóveis; com o presidente do Sinduscon, Carlos Afonso; com o empresário Sérgio Nakamura e o consultor Gilberto Siqueira, para apresentar o pacote de obras que será lançado nos próximos dias, no valor aproximado de R$ 200 milhões. A iniciativa é aguardada pelos empresários com ansiedade. 

Pontapé

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deu início ontem, segunda-feira (3) a uma série de encontros políticos em Brasília. O primeiro item da pauta foi a formação de uma grande aliança para 2022 no Rio de Janeiro, base eleitoral do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Arco 

Durante mais de uma hora, Lula recebeu em um hotel no centro da cidade o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL), que pretende disputar o governo do Rio como candidato de uma aliança que envolveria desde o PT a nomes de partidos de centro-direita, como o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o atual prefeito do Rio, Eduardo Paes (DEM).

Visão

“É meu desejo que a gente faça uma frente ampla para derrotar Bolsonaro no Rio e no Brasil. Derrotar Bolsonaro não é um projeto da esquerda, é um projeto civilizatório, democrático, da vida. É uma responsabilidade que tem que ser de todo o campo progressista, o PT dentro dele, evidente, mas também de um campo democrático”, disse Freixo ao deixar a reunião com o petista.

Mutismo 

De acordo com Marcelo Freixo, Lula demonstrou disposição para formar alianças nos estados. O ex-presidente não se manifestou após o encontro. Nesta terça-feira (4), Lula conversará com o líder da oposição na Câmara, Alessandro Molon (PSB-RJ), que aparece como nome para disputar o Senado neste esboço de aliança.

Rumo ao centro

Um encontro com Rodrigo Maia ainda está sendo costurado por interlocutores do petista. Maia é um dos principais nomes do DEM, mas desentendeu-se com correligionários no início deste ano por causa da disputa pela presidência da Câmara. Pessoas próximas ao deputado especulam que ele pode migrar para o MDB.

Romaria 

Também nesta terça, Lula deve conversar com senadores ao longo do dia no bunker que montou em um hotel no centro de Brasília. Ao longo da semana, ele deve deixar o local para fazer uma visita ao ex-presidente José Sarney (MDB), que, na semana passada, recebeu Bolsonaro em sua casa na capital federal.

Precaução

Havia expectativa de que Lula também tivesse uma conversa com Renan Calheiros (MDB-AL), mas interlocutores do senador dizem descartar esta ideia por causa da CPI da Covid. Renan é relator da comissão parlamentar de inquérito do Senado e, para estes aliados, um encontro com Lula poderia trazer mais dor de cabeça ao parlamentar, que já é alvo de bolsonaristas por ter assumido o posto mesmo sendo pai do governador de Alagoas, Renan Filho (MDB). O repasse de recursos federais aos estados é um dos alvos da CPI.

Na peleja 

Falando na classe empresarial, novo nome surge na disputa para o governo em 2022: o ex-presidente da Federação das Indústrias do Acre, Fieac, João Salomão. Salomão decidiu disputar o governo do estado contabilizando como principal suporte o apoio da classe empresarial para a empreitada.

Raízes

Salomão é oriundo da Construção Civil, setor que no estado está sofrendo a sua mais dura crise nos últimos anos, mormente com a prática da contratação de empresas de outros estados - via adesão de contratos -, para demandas surgidas no âmbito do governo do Estado. 

Pule de dez 

O Discurso principal de Salomão, por óbvio, já pode ser antecipado: o fortalecimento do setor da construção civil. O segmento que responde mais rapidamente pela geração de empregos está parado. As poucas obras do estado são realizadas por empresas de fora e as empresas locais estão à míngua. Então, a geração de empregos e a defesa das empresas locais será o mote de campanha do ex-presidente dos industriais. 

Queda e coice 

Salomão ainda não decidiu por qual partido vai disputar. Está em conversa com vários. O ex-presidente da Fieac se recupera de uma Covid-19 seguida de dengue.

Socorro 

As precárias condições da BR 364, no trecho que dá acesso à Cruzeiro do Sul é motivo de preocupações do empresariado acreano. Na última sexta feira, a FIEAC (Federação das Indústrias do Acre) e instituições parceiras iniciaram a 3ª visita técnica à rodovia. A comitiva, que encerrou a vistoria na tarde de sábado, 1º de maio, após as constatações das péssimas condições da rodovia in loco, elaborará um relatório que será encaminhado às autoridades competentes solicitando melhorias na estrada. 

Consórcio 

Além de técnicos da Federação das Indústrias, também participaram da visita técnica representantes do CREA-AC, Sinduscon, Deracre, CRC, Setacre, Sindigraf, Sindicer, Sindimineral, Sincepav, Sindisorvete e Sebrae. 

Dor de cabeça

“O setor industrial está muito preocupado com a situação da BR-364. Por isso viemos com uma equipe técnica de engenheiros, representantes do CREA, Sincepav e de outras importantes instituições para fazermos um documento robusto sobre as condições da rodovia. Vamos reivindicar obras de manutenção e precisamos sensibilizar as autoridades competentes para que sejam adotadas todas as medidas necessárias”, afirma o vice-presidente da FIEAC, João Paulo Pereira, que liderou a comitiva. 

Ponto futuro 

Para a presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Acre (CREA-AC), Carmem Bastos Nardino, a visita técnica é de suma importância, sobretudo neste momento em que será inaugurada a ponte do Rio Madeira, integrando o Acre ao restante do país. “Atendemos o convite da FIEAC e viemos contribuir com o estudo que será feito dos pontos que precisam ser melhorados ao longo da rodovia. Essa BR é essencial para a região do Juruá e desenvolvimento do nosso estado”, ressalta a engenheira civil.

Image
Image

logo news2