..::data e hora::.. 00:00:00

Jamaxi

Olhando para o horizonte 

O ex-governador e ex-senador Jorge Viana (PT), ontem, em entrevista a jornalistas do site ac24horas, deixou patenteado que será candidato a cargo majoritário em 2022, seja para governador ou para senador, argumentando que “Não está na política para ser oposição, mas para apontar soluções”.

O momento requer calma! 

Presente o conturbado momento vivenciado pela Federação e por consequência por nosso Estado e por nossos municípios, o ex-senador afirma está num processo de ouvir as pessoas e o que elas têm a dizer. “Temos que achar um caminho, alguém que consiga apontar para onde a gente vai depois dessa pandemia”, diagnostica. 

Prática e percepção 

Ainda na entrevista, Jorge Viana negou que o PT tenha qualquer acordo de aliança com a candidatura do senador Sérgio Petecão (PSD) ao governo, ressaltando, no entanto, que na política “se conversa com todo mundo”. Viana enxerga para 2022 um quadro diferente daquele de 2018, quando o PT perdeu o poder. Para ele, cada eleição tem um contexto diverso.

Garantias

“Nas eleições de 2018 as pessoas votaram com raiva, mas depois dessa crise social, miséria e desemprego, acho que a população tende a votar em alguém mais experiente, que tenha calma, que seja um porto seguro”, diz.

Novo contexto 

Diante da análise acima, aonde enxerga que em 2022 o eleitor calcará o voto na experiência comprovada, Viana vislumbra boas perspectivas eleitorais para o PT na disputa estadual: “Com a possibilidade de Lula ser presidente, é mais possível que as pessoas venham do que saiam do PT”, argumenta, ressaltando que a onda antipetista não acabou, mas que mudou bastante. “Sinto que está se criando um movimento de ter esperança, para quando a pandemia passar, mudar a situação em que vive”,

Olhar crítico 

Viana destacou o problema de gestão que aflige o pais e suas unidades confederadas.  No plano nacional enxerga um governo gerido pela politicalha, onde o improviso e as fake News fundamentam todos os atos administrativos.  Sobre o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, ele diz: “confesso que ele me decepciona. Ficou tantos anos querendo ser prefeito e, quando assume, não faz o feijão com arroz. Socorro [Neri] também foi uma decepção para nós [Partido dos Trabalhadores], mas para mim é passado” destacou. 


Imagem2

Vacinas 

O Acre recebeu ontem, 26/05, mais duas remessas de vacinas para a imunização da população contra a Covid-19. Os imunizantes chegaram em uma aeronave que pousou no Aeroporto de Rio Branco, no início da tarde. Com o envio, o Acre pretende avançar na inclusão de novos grupos, imunizando trabalhadores da educação básica, sistema prisional, Forças Armadas e transporte aéreo.

Identificação 

Os dois novos lotes, 25 e 26, enviados pelo Ministério da Saúde (MS), contêm 19.500 doses da Astrazeneca/Fiocruz e 2.340 da Pfizer. Os imunizantes foram levados para a Rede de Frio Estadual para a devida conferência, armazenamento e posterior distribuição aos municípios, conforme logística pré-definida pelo PNI (Programa Nacional de Imunicação).

Alvíssaras

O governador Gladson Cameli (PP) anunciou na manhã de terça-feira, 25, um calendário de pagamentos que vai contemplar 60% da força de trabalho do Estado, além de ex-servidores que possuem verbas rescisórias a receber.

Cronologia

O cronograma começa com o pagamento do prêmio de valorização, que desde 2016 não era repassado ao servidor público. Os primeiros a receberem serão os colaboradores do Detran, que na próxima sexta-feira, 28, terão os valores creditados em conta, juntamente com o salário do mês de maio.

Critérios

Ao todo, 19 mil servidores vão ser contemplados, que juntos irão receber R$ 41 milhões. A liberação para o pagamento dos prêmios de valorização ocorrerá após a devida análise de cumprimento dos critérios definidos no Plano de Cargos Carreiras e Remunerações (PCCR) de cada categoria.

Regozijo 

Após esse avanço na quitação dos direitos funcionais de servidores, o governador Gladson expressou contentamento com o feito alcançado por sua gestão: “Tenho muitos anúncios que ainda não fiz porque não vou colocar em risco a folha dos servidores. É um trabalho de equipe. Eu sozinho não consigo fazer nada. Quero fazer um apelo a vocês que querem uma garantia de salários do Estado: por favor, nós estamos em uma pandemia, não é o momento de mudarmos a pauta. Vamos virar essa página da Covid. Não estou preocupado com o ano que vem, estou preocupado com vidas. Aos que reclamam, meu respeito. Aos que confiam, vamos juntos. Obrigado a todos que colaboram”, pontuou Cameli. 

Homem ao mar

Alvo de operação da Polícia Federal no início da semana, o secretário de administração de Cruzeiro do Sul, João Pereira da Costa (PP), perdeu a função no dia de ontem. Na dita operação, Pereira recebeu a visita de agentes da PF que investigam indícios de cometimento de crime, com desvio de dinheiro público, na prefeitura. A exoneração foi assinada pelo vice-prefeito de Zequinha Lima (PP), Henrique Afonso (PSD).

Uno e indivisível 

Uma divergência está estabelecida no “G-7” (composto por opositores e independentes da CPI da Covid), e ela envolve o tal “relatório parcial” anunciado por Renan Calheiros (MDB-AL). Não há dúvidas da existência de indícios suficientes para apontar supostos crimes e omissões, mas uma ala acredita que a antecipação do documento pode esvaziar o relatório final. Apesar de ter sido uma demanda do presidente Omar Aziz (PSD-AM), a prática é incomum. Renan tem dito que acompanhará a maioria. Isso significa ser improvável o fatiamento.

No prazo final

A antecipação “queimaria cartuchos”. Alessandro Vieira (Cidadania-SE) diz que “relatório parcial não é produtivo e arrisca gerar conclusões apressadas”.

Pra já

O lado da CPI favorável ao fatiamento tem bom argumento: alguma medida prática pode ser tomada desde já via atuação do Ministério Público.

Tratoraço

Ex-ministro palaciano e amigo do clã Bolsonaro, Jorge Oliveira será relator de uma representação no Tribunal de Contas da União (TCU) que apura o esquema do orçamento secreto do governo, revelado pelo jornal O Estado de São Paulo.

Tratoraço 2

Até agora, quatro processos já foram abertos no TCU para apurar o esquema. Outro está com o ministro Weder de Oliveira. Dois aguardam designação, mas podem cair com Oliveira, uma vez que é ele o responsável pelos casos referentes ao Desenvolvimento Regional.

Para lembrar

O ‘tratoraço’ é um esquema montado pelo governo Bolsonaro para beneficiar parlamentares com destinação de R$ 20,1 bilhões em emendas, na troca de apoio no Congresso. Desse montante, R$ 8,3 bilhões foram destinados ao MDR e a estatais ligadas a ele, como Codesvaf.

Com a palavra

Questionado se continuaria à frente do caso, diante da proximidade com o governo Bolsonaro, Oliveira não respondeu.

Disponível

Também convocado, o governador Ibaneis Rocha (MDB-DF) diz que não buscará um habeas corpus no STF: “No que for necessário, pretendo contribuir (com a CPI)”.

Boa…

Marco Bertaiolli (PSD-SP), relator da MP do Ambiente de Negócios na Câmara, e Paulo Guedes bateram o martelo: o relatório será entregue a Arthur Lira na semana que vem, quase dois meses antes do prazo final, 28 de julho.

…notícia

A principal inovação na MP é a criação de um novo tipo de ação para as sociedades anônimas, o chamado “voto plural”, que dará direito a controlar a empresa mesmo sem possuir a maioria das ações dela, ou seja, uma forma de capitalizar as companhias.

Image
Image

logo news2