..::data e hora::.. 00:00:00

Jamaxi

Destaque

Com a marca de 92,69% de inquéritos policiais resolvidos, a Polícia Civil do Acre figura como a segunda do ranking brasileiro que mais elucida crimes, ficando atrás apenas do Maranhão (98,48%). O estado com o pior índice nacional foi o Espírito Santo (26%).

Fonte

A constatação é resultado de pesquisa realizada pela Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados, com apoio da Associação dos Delegados de Polícia Civil (Adepol) do Brasil.

Metodologia 

A pesquisa foi divulgada no último dia 4, e, de acordo com a Adepol, considerou-se o marco temporal dentre os anos de 2018-2020, conforme a base de dados fornecida por cada instituição, realizando-se uma média com base em todos os dados compilados de todos os Estados.

Regozijo 

Instado a se manifestar, o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Paulo Cézar Rocha dos Santos, disse que o resultado retrata o empenho da equipe de segurança pública no árduo trabalho do dia a dia.

Méritos

“Apesar de incentivadores, para a própria polícia, e relevantes, para a população do Acre, os números apontados pela pesquisa não me surpreendem. Digo isso pelo fato de ser conhecedor do grau de profissionalismo e da qualidade dos integrantes da Polícia Civil acreana. Isso faz a diferença. Aponto a sensibilidade e o compromisso do governador Gladson Cameli com as forças de segurança do Acre como fatores determinantes para a obtenção dos bons resultados”, sintetiza Paulo Cézar. 


Imagem2

Racionalidade 

Se, no momento, Lula e Bolsonaro são os principais candidatos a presidente da República ano que vem, e se eles estão em viagem a outros países, um na Europa, outro no Golfo Pérsico, o natural seria que a imprensa brasileira acompanhe os passos dos dois.

Constatação 

Verdade que Bolsonaro está em campanha desde que subiu pela primeira vez a rampa do Palácio do Planalto. A condição de presidente lhe garante uma grande exposição. Quanto a Lula, é a primeira viagem internacional que faz depois de tornar-se elegível.

Alavanca 

Foi preciso, contudo, que o presidente francês, Emmanuel Macron, recebesse Lula com honras só devidas a um chefe de Estado para que a imprensa nacional acordasse e conferisse ao fato o destaque merecido. Hoje, Lula se encontrará com o presidente espanhol.

Prestígio 

Lula poderia ter sido ignorado pelos líderes europeus, mas não foi. Reuniu-se também com o próximo chanceler da Alemanha. Em visita oficial, os líderes das ditaduras do Golfo Pérsico jamais poderiam ter ignorado Bolsonaro. Não por ele, mas pelo Brasil.

Karma 

Dizia-se antigamente que o brasileiro sofria do complexo de vira-lata. O complexo perdeu força entre 1994 e 2018, quando o país foi governado por Fernando Henrique Cardoso, Lula, Dilma Rousseff e Michel Temer. Com Bolsonaro, o brasileiro é o próprio vira-lata.

Contrastes 

Enquanto Lula e Macron repassavam alguns dos problemas que afligem o mundo, Bolsonaro, ao desembarcar em Doha, capital do Catar, foi participar de uma “motociata”. De saída, avisou a árabes perplexos que seu secretário de Cultura é hétero.

Pinóquio 

Antes, em Dubai, capital dos Emirados Árabes Unidos, Bolsonaro havia dito a empresários que não há incêndios na Amazônia porque a floresta é úmida. Foi lá que ele produziu barulho com o anúncio de que suspendera sua filiação ao PL de Valdemar Costa Neto.

Curtindo a vida adoidado 

Depois, em Manama, capital do Reino do Bahrein, Bolsonaro inaugurou a nova sede da embaixada do Brasil, jantou com empresários e pegou o avião de volta acompanhado por sete ministros, dois de seus três filhos (Flávio e Eduardo) e amigos.

Dor de cabeça 

Jair Bolsonaro e seus ministros mais próximos registram com preocupação notícias sobre pesquisas de intenção de voto que em breve serão divulgadas. Algumas ainda estão sendo aplicadas.

Protagonismo 

Elas mostrariam o crescimento da candidatura do ex-juiz Sergio Moro, que na semana passada filiou-se ao Podemos para disputar a eleição presidencial do ano que vem.

O ‘X’ da questão 

Moro estava na casa de um dígito nas pesquisas da semana passada. Agora, deverá aparecer com dois dígitos, para aflição de Bolsonaro, Ciro Gomes (PDT) e demais aspirantes a candidato da terceira via. Não tem a ver com sua dicção, que melhorou. Tem a ver com a má avaliação do governo.

Jogando a toalha 

O ex-deputado Roberto Jefferson avisou a aliados que deixará definitivamente a presidência do PTB. Sua sucessora deverá ser Graciela Nienov, atual presidente em exercício da sigla. O partido definirá o novo comando em uma convenção no próximo dia 30.

Deu chabu

Encarcerado no presídio Bangu 8, no Rio de Janeiro, Jefferson foi afastado por seis meses da presidência do PTB na semana passada por ordem do ministro Alexandre de Moraes, que atendeu a um pedido de correligionários de Jefferson. Assim, ficará fora da cúpula até o início da campanha eleitoral de 2022. Em outubro, Jefferson já havia confidenciado a interlocutores na cadeia que temia ser afastado. Por isso, pediu licença do cargo por tempo indeterminado para tentar fugir da sanção. Não funcionou.

Nova ordem

Agora, Roberto Jefferson tomou uma decisão definitiva, segundo disse a aliados nos últimos dias. Sairá de vez do comando do partido. Os próximos nomes à frente do PTB serão definidos em uma convenção virtual, no próximo dia 30. A atual presidente, Graciela Nienov, lidera a única chapa inscrita até o momento. Graciela tem buscado repactuar a legenda e pacificar brigas internas. Ao contrário de Jefferson, tem adotado um perfil conciliador.

Sim e sim

Após a reunião com dirigentes regionais ontem, quarta-feira (17/11), para tratar da filiação de Jair Bolsonaro, a cúpula nacional do PL confia em uma rápida solução para os entraves que impediam o casamento até então.

Discutindo a relação (DR)

A expectativa de mandatários do partido é que o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, se encontre com Bolsonaro “assim que ele chegar ao Brasil” de sua viagem ao Oriente Médio. O presidente da República já embarcou de volta para o Brasil e deve chegar ao país no fim da noite desta quinta-feira (18/11). Valdemar quer tentar conversar com Bolsonaro já nesta sexta-feira (19/11).

Tálamo

Dirigentes do PL que participaram da reunião e que deram “carta branca” a Valdemar confiam que um consenso será atingido de forma rápida e que ocorrerão conversas diárias entre o chefe da sigla e Bolsonaro até a filiação. A previsão de dirigentes do PL é de que, se tudo ocorrer bem, antes das festas de fim de ano deve ocorrer o evento de filiação do presidente da República ao partido.

Image
Image

banner mk xl

logo news2