..::data e hora::.. 00:00:00

Geral

Falta de Fluxo no Huerb pode resultar em contaminação de crianças internadas 

O Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) cobrará da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) equipamentos, medicamentos e a contratação de médicos e fisioterapeutas para dar atendimento adequado aos pacientes contaminados pelo coronavírus (Covid-19) no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb). Outra irregularidade que ainda persiste é a falta de fluxo para pacientes, potencializando a contaminação de pessoas, inclusive de crianças da ala pediátrica. 

Segundo o presidente do Sindmed-AC, Guilherme Pulici, a falta de condições de trabalho vem se agravando nos últimos anos, prejudicando de forma direta as pessoas que procuram atendimento, chegando a faltar luvas para cirurgias e porta agulhas, entre outros itens essenciais para uma unidade que recebe vítimas de acidentes de trânsito e outros problemas de saúde que podem resultar em morte pela falta de socorro adequado. 

“A visita revelou diversas carências no PS do Huerb, desde falta de profissionais médicos e fisioterapeutas na enfermaria do 3° andar à falta de medicamentos e insumos”, protestou o representante da classe médica. 

Sem os profissionais no 3° andar, os pacientes com coronavírus só recebem atendimento dos visitadores, com isso os riscos de sequelas aumentam pela falta de tratamento adequado. 

“Os fisioterapeutas são fundamentais para oferecer amparo e ajudar na recuperação da doença. A falta de médico pode prejudicar também no tratamento, podendo prolongar a ocupação do leito, além do risco de morte pela falta de plantonista. Sem contar aqueles casos que receberam alta sem fisioterapia, resultando em gastos ainda maiores do poder público com pessoas que acabam tendo dificuldades de retornar ao trabalho por sequelas resultantes da COVID, tais como cansaço, dificuldade para respirar ou até a falta de forças para caminhar”, detalhou Guilherme Pulici. 

A enfermaria pediátrica não possui banheiro, obrigando pais e crianças a procurarem o banheiro que fica na ala em que estão crianças internadas com Covid-19, ampliando a possibilidade de contaminação. 

Guilherme Pulici visitou o Huerb no sábado acompanhado do deputado Jenilson Leite e do presidente do Sintesac e vereador Adailton Cruz. O objetivo da visita conjunta é fortalecer o sistema público de saúde ao unir forças para cobrar da Sesacre melhorias necessárias. 

DSC 0194 web

Irregularidades encontradas: 

* Falta de bomba de infusão 

* Burocracia para a liberação da máscara N95 aos profissionais de saúde. 

* Falta de fluxo de pacientes, misturando pacientes com Covid-19 e pacientes com outras doenças. 

* Falta de leitos suficientes na ala pediátrica. 

* Falta a luva modelo 76 para cirurgias. 

* Faltam aventais. 

* Na ala da observação adulta existe a falta de separação física dos ambientes dos pacientes portadores de Covid-19 dos de outras doenças. 

* Falta de leitos de retaguarda para procedimentos simples, aumentando a estadia para, em média, três dias de internação de pacientes que deveriam ficar no local até no máximo 24 horas. 

* Profissionais desconheciam o nome do diretor técnico, inexistindo publicação de mudança no cargo em mural ou local visível. 

* Faltam medicamentos como noripurum, rocefin, transamin, fluconazol, omeprazol injetável, terbutalina, claritromicina e anfotericina B. 

* Falta área de observação no setor de trauma. 

* Laringoscópio com defeito, chegando a falhar em diversas consultas. 

* Raio-X novo (digital) funcional parcialmente, pois a mesa travou. 

* Faltam fisioterapeutas e médicos.

Image
Image

logo news2